Loading...

É ele que me atrai

2018-03-04T19:05:57+00:00

Eu o vejo ali, bem perto na mesa. Está a só alguns passos de mim! Meu coração agitado me impele mas minha mente receia a rejeição. Afinal, estou à porta da casa da condenação. São dois mundos com um abismo no meio. Mas ele… ele é diferente. É ele que me atrai. Entrar ali e me aproximar do meu alvo é me expor aos olhares reprobatórios, às conversas sussurradas, à condenação sem julgamento.

Eu sei quem sou, o que sinto e o que já fiz. Tantos sabem… Já não é segredo pra ninguém aqui. Sou a incompreensível vergonha da sociedade. Perguntam o que deu errado comigo, já que todos os demais não se perderam pelos mesmos caminhos. Para eles, sou a personificação do sexo desenfreado, da vida libertina, da morte dos valores e da moral. Sou um tapa na sua cara mais correta, uma agressão psicológica para seus filhos na praça.

Sou uma peteca que é jogada da intolerância fundamentalista à descompromissada aceitação: “que ninguém te julgue. Viva como quiser. Misture-se!”. Sim! Misturo conflitos a questões e medo. Mesclo raiva e amor, egoísmo e fantasia. Erros e acertos. E me confundo.

Então, o que tenho a perder? Eu. Tudo o que quero hoje é me perder nele. E seja o que Deus quiser. Quero me entregar de corpo e alma, abrir meu coração, mergulhar no seu abraço e falar tudo o que está entalado aqui há tanto tempo. Minhas mãos suam, um arrepio me percorre a espinha! Ele está ali! A apenas alguns passos de mim!

Num ímpeto, sem volta, me lanço na irresponsabilidade e, me aproximando por trás, sinto crescer em mim um furacão de lágrimas e arrependimento. Não o abraço. Uma represa de emoções há muito contidas se abre me curvando bem perto de seus pés sujos e marcados pelas andanças.

Choro.

Soluço.

Demoro.

Estou no chão, à vista de todos os meus juízes, no banco dos réus, mas finalmente tocando nele, o alvo do meu amor. O que será de mim?

Enquanto as lágrimas ainda escorrem sobre seus pés, agora já mais limpos e semienxutos por mim, ouço que ele fala sobre amor e perdão. Tudo o que eu precisava. A grande lacuna que me levou a tantos outros, tantas vezes, me fazendo voltar sempre pior. Amor e perdão. Era essa sua fama, e por isso vim.

Sabendo o que eu pretendia, finalmente ele falaria comigo. Meu coração quase parou quando Jesus me olhou e disse: ‘Os seus pecados estão perdoados’.

André Nascimento

Sobre mim

Sou poeta, escritor e músico: artista-pássaro que busca levar beleza e verdade, poetizando a vida que Deus sempre quis. Atuo, canto e escrevo contos, crônicas, poesias e artigos.

Últimos textos