Loading...

A guerreira do domingo de manhã

2018-03-04T19:24:36+00:00

Ela é uma guerreira. Não sei se é característica dos guerreiros o ser feio e desajustado, mas essa pequena criatura assim é.

Mas por que falo de sua valentia, coragem ou seja lá o quê? Porque ela desafia o vento, se apossa dos lugares, ressoa sobre ambientes!

Ela é praticamente invencível. Ela é mirabolantemente capaz de se esquivar de qualquer agressor, armado ou não.

É frenética e determinada a testar qualquer um em qualquer lugar.

Mas por que justo hoje sua escolha não foi aleatória? Por que justo eu?

Na minha (era pra ser só minha!) bela manhã de domingo ensolarado, a brisa refrescante dando seus ares, o gosto do café fresquinho ainda na boca, ela vem (um ouvido bem treinado pra sons invisíveis às vezes é sua própria morte).

Embriagando-se com o vento, totalmente desconcertada, a ousada guerreira vem até mim.

Pra quê, hein? Pra me intimidar, me amar ou só pra me irritar mesmo?

Só posso ter sangue doce! Ela insiste em vir e voltar. Tento dizimá-la. A danada foge e logo contra-ataca. Meus golpes são idiotas mas a fazem cambalear… Não desisto fácil e ela é irredutível!

E nessa guerra feroz, meus nervos se esmagam através dos poros, o coração já acelerado me desestabiliza… apenas pra vê-la tocar minha perna e, como se não gostasse do que sentiu, voa pra longe, quase que sorrindo, me ignorando, me desdenhando (!) e pousa em qualquer cocô de cachorro por aí, levando minha bela e tranquila manhã de domingo em suas asas.

Mosca desgraçada!

 

André Nascimento

 

 

Sobre mim

Sou poeta, escritor e músico: artista-pássaro que busca levar beleza e verdade, poetizando a vida que Deus sempre quis. Atuo, canto e escrevo contos, crônicas, poesias e artigos.

Últimos textos